Participar da Bienal do Livro do Rio de Janeiro

Livros – Rio de Janeiro, RJ
Antonio Sanz 5 meses

Resenha - A Guerra do Tempo

O mundo de Mirai, onde se passa a história, é uma dimensão mágica, habitada por fadas (criaturinhas fascinantes que há muito tempo atrás foram criadas pelos magos -os primeiros habitantes de Mirai- e os auxiliaram na construção do mundo), dragões (os meios de transporte e mascotes dos personagens de Mirai) e por quatro tipos de classes mágicas - os feiticeiros, os xamãs, os magos e druidas, que se distinguem por suas habilidades. Mirai é dividida em 16 reinos, formados por várias aldeias. Cada aldeia possui uma árvore mágica, que é a fonte de magia de seus aldeões, que usam energia mágica para tudo. Quando alguém surge nesse mundo, ele inicia sua vida já sabendo andar, pensar, falar, mas com 1 ano. Essa idade é diferente da nossa, ela é ganhada através de trabalhos feitos usando magia, como em um desses jogos de computador que existem por aí. À medida que essa pessoa vai ganhando experiência e subindo de nível, ela também cresce e, quando tiver 100 anos, pode se transformar em uma classe mágica diferente e voltar à ter 1 ano de idade (mas sem nenhuma mudança de crescimento, visual, essas coisas, apenas perde seus ''níveis'').Maya, nossa protagonista, chega em uma aldeia deserta do reino de Pin, sem lembrar de nada da vida em que passou na Terra dos Perdidos, que é como os habitantes de Mirai chamam nosso mundo. Quando alguém morre na nossa dimensão, ele aparece nessa dimensão paralela, e quando alguém morre ou abandona Mirai, ele nasce novamente aqui. Enfim, é algo que me deixou um pouco confuso por ser mesmo complexo, mas se você entender isso pode seguir a história sem problema algum, irá entender tudo. Jéssica já me disse que nos próximos livros ela irá aprofundar mais nesse tema ;) A primeira pessoa que Maya conhece é um senhor que dá as primeiras instruções para se começar uma vida em Mirai, Tensai, só que ele tem pouquíssima participação do livro. Depois, Maya conhece GL7, um garoto bem intencionado e divertido que a apresenta a Cidade (o centro do reino), a Escola de Magia (onde se aprende feitiços, ganhando experiência e aumentando de idade) e que também lhe consegue uma aldeia de um homem muito bom chamado Raul para morar, mas a garota logo deixa o lugar à procura de uma aldeia mais experiente. Ao longo de sua jornada, passando por várias aldeias, ela vai ganhando experiência, conhecendo amigos e se depara com um grande inimigo que tem planos obscuros contra seu reino.

Antonio Sanz 5 meses

Resenha Meio-FIO

Comprei este livro na Feira do Livro de Maringá, estava passando no corredor e um homem me chamou e disse “Você conhece o autor Antonio Sanz?” eu disse “Não” e ele “Prazer” rsrs. Comprei o livro pela simpatia do autor, e porque ele fez um desconto para mim.

Preciso confessar uma coisa: amo ler livros de autores menos conhecidos. Passei a gostar este ano, quando li um livro chamado Caminhada, farei a resenha dele aqui um dia, pois este livro me fez quebrar aquele tabu sobre ler livros de autores mais conhecidos.

Enfim, quando comprei o livro, imaginei que leria algo clichê, e não me enganei. A história tem uma ideia muito boa, e o desenrolar também, mas acredito que se tivesse mais detalhes ela seria bem melhor.

Particularmente, prefiro livros com mais detalhes, e gosto muito de saber o que o personagem do livro está pensando, ou os personagens secundários, mas este livro não trouxe isso. A narrativa é em terceira pessoa e muito objetiva, existem momentos em que o personagem x diz “vamos contar a fulana” e o parágrafo abaixo já é a fala dele contando para “fulana”, não existe detalhes de como eles foram, o que estavam sentindo, ou o que “fulana” sentiu.

O começo do romance entre o casal é pouco explorada, acredito que, com os detalhes poderia fazer o leitor também se apaixonar pelo casal, ou até mesmo pelo momento em que o livro ganhou seu nome, mas aconteceu tão rápido que eu li e fiquei “ué”. Bem como a “maldade” de Lúcia, que durou pouco também.

A única coisa que dura bastante no livro, além do amor entre eles, é o preconceito do pai, que arrasta-se até quase o fim do livro.

Devo dizer que achei interessante um romance mostrando um personagem cristão e uma menina que acabou se convertendo também por causa dele, por mais que este fato tenha sido muito pouco explorado, achei diferente, pois nunca li um romance com essa característica.

Eu gostei muito da forma que fui recebida pelos autores, eles foram bem simpáticos comigo no evento, mas tenho que ser sincera na resenha, e particularmente este não é o tipo de livro que eu gosto de ler. Se eu pudesse dar uma dica aos autores seria: não colocar índice no livro. Ainda mais com o nome dos capítulos, pois assim fica fácil saber o final da história rsrs.

Algo que não posso deixar passar é que a autora Jéssica (minha xará), e sua irmã gêmea Jennyfer fizeram uma “ponta” no livro, o que tudo bem, todo autor tem vontade de fazer né.

Antonio Sanz 6 meses

Membros da Academia De Letras

Somos Membros da Academia de Letras do Brasil (Seccional Campos) e do Núcleo Acadêmico de letras e Artes de Portugal.

Jéssica Sanz nasceu em 21 de janeiro de 1998 em Itaperuna, RJ. Atualmente, mora em Campos dos Goytacazes, RJ, e estuda Letras no Instituto Federal Fluminense. É autora independente com a trilogia de fantasia Maya Fujita e publica outras histórias no site de ficção Nyah! Fanfiction. Ilustrou o livro "Derrubando Paredes" de Isabela Bastos de Carvalho.
Em 2019, foi selecionada para participar do Livro "Amo Amar Você" Volume 5.

Antonio Sanz é um amante de romances, aventuras, poesias e ficção científica. Escreveu algumas crônicas e poesias nunca antes publicadas. Inicia em 2017 aos 45 anos, o seu sonho de publicação de sua primeira obra iniciada em 2010. Em 2019, está previsto para lançar o seu segundo livro: "A Máquina dos Sonhos"
Em 2019, foi selecionado para participar do Livro "Amo Amar Você" Volume 5.

Antonio Sanz 6 meses

MIRAI

Um mundo diferente daquele que você conhece.
Repleto de magia, mas não é só de magia que se faz um mundo. Há também as pessoas.
Magos, druidas, xamãs e feiticeiros.
Quem vive em Mirai está sempre feliz, plantando e colhendo na companhia das fadas.

Mas não para sempre.

Por trás de uma vida aparentemente perfeita, se escondem alguns perigos peculiares. O difícil é enxergá-los, pois nem tudo é o que parece.

Antonio Sanz 6 meses

Página do Facebook

Curtam a nossa página no facebook...

https://www.facebook.com/jessicasanzescritora/