Abas primárias

Ravnir - Literatura para crianças e jovens

Livros, SE
kicks
Arrecadados da meta de R$86.000,00
Encerrado!
Campanha flexível

Esta campanha recebeu todos os fundos arrecadados até 05/08/2019.

Recompensas

  • R$45,00

    1 Livro autografado + marcador de página
    Receba a segunda edição do livro autografado, mais o marcador de página.
    2 pessoas kickaram.
    Restam 98 kicks.
    Entrega estimada em 05/09/2019

  • R$75,00

    2 Livros autografados + marcadores de página
    Receba dois exemplares da segunda edição autografados, mais os marcadores de página.
    Restam 80 kicks.
    Entrega estimada em 05/09/2019

  • R$100,00

    3 Livros autografados + marcadores de página
    Receba três exemplares da segunda edição autografados, mais os marcadores de página.
    Restam 70 kicks.
    Entrega estimada em 05/09/2019

  • R$600,00

    10 Livros autografados + marcadores de página
    Receba dez exemplares da segunda edição autografados, mais os marcadores de página.
    Restam 25 kicks.
    Entrega estimada em 15/09/2019

  • R$1.000,00

    20 Livros autografados + marcadores de página
    Receba VINTE exemplares da segunda edição autografados, mais os marcadores de página.
    Restam 10 kicks.
    Entrega estimada em 15/09/2019

  • R$3.500,00

    80 Livros autografados + marcadores de página
    Receba OITENTA exemplares da segunda edição autografados, mais os marcadores de página.
    Ainda resta um kick!
    Entrega estimada em 15/09/2019

  • R$25,00

    Livro digital
    Você recebe o livro Ravnir: O enigma da guerra em formato digital
    Entrega estimada em 05/09/2019

  • R$5.000,00

    Sua marca na contracapa (2 Edição)
    Você automaticamente se tornará um patrocinador do projeto, tendo sua marca exposta na contracapa da segunda edição do livro, que pode ser vista por uma quantidade absurda de jovens.
    Restam 2 kicks.
    Entrega estimada em 05/09/2019

  • R$2.000,00

    Sua marca dentro do livro (2 Edição)
    Você automaticamente se tornará um patrocinador do projeto, tendo sua marca exposta na página de detalhes da segunda edição do livro, onde terá espaço para a inserção de mais apoiadores do projeto.
    Restam 10 kicks.
    Entrega estimada em 05/09/2019

  • R$3.000,00

    Sua marca no marcador de página
    Você automaticamente se tornará um patrocinador do projeto, tendo sua marca exposta isoladamente no marcador de página.
    Ainda resta um kick!
    Entrega estimada em 05/09/2019

  • R$35,00

    1 Livro autografado (1 Edição)
    Receba um exemplar da primeira edição do livro autografado.
    Restam 50 kicks.
    Entrega estimada em 05/09/2019

  • R$50,00

    2 Livros autografados (1 Edição)
    Receba dois exemplares da primeira edição do livro autografados.
    Restam 50 kicks.
    Entrega estimada em 05/09/2019

  • R$80,00

    3 Livros autografados (1 Edição)
    Receba três exemplares da primeira edição do livro autografados.
    Restam 32 kicks.
    Entrega estimada em 05/09/2019

Escrever é algo fantástico. Ainda mais para mim, que escrevo fantasia/ficção. Mas, ao longo da jornada como escritor, eu fui percebendo inúmeras situações, inclusive a pior delas: As pessoas estão lendo cada vez menos.

Dentro desse grupo, as crianças e os jovens são os mais afetados, e estão cada vez menos interessadas em literatura. No entanto, ao perceber que crianças/jovens mais carentes de escolas públicas, estaduais ou municipais tinham interesse, mas não tinham como adquirir algo do tipo, eu pensei: e se eu levasse esses livros para eles? Quantos outros que podem acabar despertando interesse pela literatura de modo geral?

Pensei, pensei muito sobre. Diversas possibilidades, mas, eu temia uma coisa: E se a escrita for algo muito complicado de se compreender? Imediatamente fiz uma pesquisa com meus próprios leitores, e consegui o dado mais importante, que da grande maioria dos meus leitores infantojuvenis, a maioria nunca tinha lido um livro na vida, e conseguiram ler tranquilamente, sem nenhum tipo de problema. Imaginaram os cenários, os diálogos, batalhas, sem nenhuma dificuldade.

Assim, eu tinha o conteúdo sagrado em minhas mãos. Não só um livro de fantasia, mas, Ravnir: O enigma da guerra. Livro que, em 2018 conseguiu alcançar o top1 na amazon, onde estava disputando ranking com livros da saga harry potter, the witcher, entre outros.

Mesmo que, eu tenha uma história complicada como escritor. Eu, que quando tinha esse sonho, e finalmente decidi contar a meus pais, via meu pai rir de mim, e diversas outras pessoas me colocando para baixo cada vez mais só por querer ser escritor. E agora eu tenho a chance de ajudar diversas pessoas e quem sabe, ser motivo de inspiração para mais pessoas.

 

 

Porém, eu não podia finalizar isso, sem dizer quem sou eu, e como eu iniciei minha jornada. Sou Breno Ilan, atualmente tenho 23 anos, e consegui publicar meu primeiro livro aos 22, um feito considerado "inacreditável" por muitos na minha cidade. O que eu considero como inacreditável, foi ter alcançado o top1 na amazon sendo um "autor independente" totalmente anônimo.

A tag de "mais vendido", que está em cima da capa, foi um susto, algo inacreditável aos meus olhos. Já que, eu sofri muito nessa jornada, principalmente no início. 

Antes de realmente despertar interesse pela escrita, eu trabalhei em uma editora durante aproximadamente 2 anos. Nos últimos meses de trabalho, eu escrevia apenas para me desprender do mundo real, tendo aquele silêncio, aquela sensação de tranquilidade, conseguindo me desprender do stress cotidiano. Após ser exonerado do cargo, o stress em outros empregos só aumentava, dobrava com o stress da faculdade. Foi nessa hora que, eu pensei: eu tenho uma história, então irei concluir e, vou me aventurar nisso.

Eu nunca imaginei que receberia tantas "pedradas" de todos os lugares. Quando eu não tinha nada pronto, tudo que eu mais queria era alguém para ler, e dar um feedback. Seria a coisa mais importante para mim, que estava escrevendo algo planejando publicar, sem a mínima experiência. Procurava amigos, conhecidos, familiares, mas era rejeitado por praticamente todos. Até aí, ótimo. O problema é que a maioria não só rejeitava, como criticava e julgava, sem ao mínimo ler. Pensa bem, você querendo um feedback, e a pessoa sem ler já lhe detonava praticamente por inteiro? Então pensei, ao menos meus pais vão me apoiar. (risos)

Sim, risos. Foi o que meu pai soltou quando disse que estava escrevendo, e que queria me tornar escritor. Não foram só risos, foi algo imensamente desmotivador, somado com minha mãe, que numa situação de "consolo", tentava me guiar para um "melhor caminho". Não a condeno, até porque é algo muito difícil hoje em dia para maioria dos pais sairem da bolha, em relação ao desejo dos filhos.

Passei essa situação, e continuei meu trabalho. Escrevi, revisei o que estava dentro dos meus parâmetros na época e diagramei. Depois, lá estava eu, com a obra concluída, mas sem nenhum feedback sobre. Nenhum. Até minha namorada na época, me disse que nunca ia ler algo que eu tinha escrito. Eu tinha praticamente todos os motivos para desistir, mas acabei não desistindo.

Desempregado, fora da faculdade, sem estimativas. O que eu fiz? Publiquei o e-book na amazon, sem nenhum feedback. Um tiro no escuro. Pensei em inúmeras possibilidades, e ao menos contei com aqueles amigos que diziam "publique que eu compro". Nem isso deu certo. Primeira semana com o e-book publicado, e nada. Tudo que eu mais precisava era o feedback inicialmente, então decidi por o e-book de graça, e espalhar a informação. Pedi até para quem não conhecia para compartilhar aquela postagem. Lembro bem, foram quase 500 downloads, algo que eu nem esperava, baseado em tudo que já tinha passado. Mas, aí vem a situação, na amazon você consegue ver quantas pessoas estão lendo seu ebook, pelo contador de páginas. E, desses quase 500, ninguém nem sequer abriu o arquivo.

Eu não sabia se, o problema estava em mim, ou na história, ou na capa, já que eu tinha feito tudo sozinho. Eu fiquei uma semana, desolado achando que o problema realmente era eu. Que as pessoas não se interessavam porque era algo que vinha DE MIM. Sendo bem sincero, não sei como resisti tanto tempo nessa situação sem desistir. Mas, uma hora, o sol ia nascer e me iluminar. Uma amiga minha que estudou na minha turma da faculdade, comprou o e-book leu ele inteiro. O devorou mesmo com diversos erros ortográficos, e veio no chat do facebook comentar da história. Eu vi aquela garota falando por mais de 30 minutos da história que eu tinha criado. Dizendo que amava tal personagem, que não acreditava nisso e naquilo. A sensação foi mágica. O que veio depois disso, foi que um dos meus professores também acabou lendo, e me chamou na faculdade para conversar. Eu ouvi de um mestre, que da aula de TV/Cinema, roteiros, a pessoa que me ensinou a criar um roteiro/enredo projetado, que era uma história surreal.

Cara, depois daquilo, nem o pior chingamento ou a pior ofensa me abalava mais. Nada. Antes, meu pai que me criticava e me julgava todo dia em casa, o que era algo desastroso, simplesmente não tinha mais efeito. As leituras do e-book não cresciam, mas eu sabia que o problema não estava em mim, e sim nas pessoas em minha volta.

A ficha realmente demorou a cair. Procurei grupos em redes sociais, pessoas que se interessavam por livros no instagram, praticamente o dia todo. Conversando com um por um, dia pós dia. Pessoas que não tinham como comprar, eu os guiava para trial do kindle, no kdp select, e dia pós dia aquilo ia crescendo. As pessoas que eu ia conhecendo dia pós dia, cada vez mais iam me dando feedbacks e mesmo sem lucro quase nenhum, aquilo estava me fazendo mais feliz do que qualquer trabalho que eu já tinha exercido.

Praticamente 1 mês depois, no período do carnaval, que veio o inesperado, o inimaginável. Eu estava tendo praticamente 50 páginas lidas ao dia, 80, 100 no máximo. Quando de costume, acordo, faço um café, ligo o computador e vou olhar o relatório, estava lá, 3000 páginas lidas em um dia. Meu livro tinha saido da colocação mais de 1000, e pulado para 30° colocação no ranking. Eu nem sabia o que dizer, nem o que dizer aos outros. Simplesmente, fiz mais café e continuei conversando com pessoas e tentando despertar o interesse delas. Mas, não foi isso, e sim o fato de eu ter guiado pessoas para trial do kindle. Essas pessoas acabaram gostando da história, e contando para outras pessoas, e aquilo foi crescendo. O famoso marketing boca a boca. No dia seguinte, eu tinha 7000 páginas lidas, algo que nem em sonho eu imaginava. A média de 2000 até 4000 leituras se manteve por uma semana, o que me levou ao top1, e ter o livro sendo considerado o melhor lançamento do mês de janeiro/fevereiro na categoria que eu concorria. Eu, um anônimo, criticado por todos, que estava passando pela pior fase da vida, estava lá no top1. 

Não demorou muito para algumas pessoas enxergarem aquilo. Algumas pessoas que me criticavam antes, estavam me elogiando, parecia até sacanagem, ou algo irônico. Até surgir a oportunidade com a própria editora que eu tinha sido exonerado 2 anos antes, para publicar meu livro. Mesmo sabendo de todos os defeitos da editora, eu sabia que, eu era capaz de projetar meu próprio livro, e foi o que eu fiz, mesmo tendo em mente que a editora só queria aquilo pelo hype. Lembro bem, um dia depois que a proposta foi aceita, eu acordei e já tinha foto minha estampada no jornal. 

Leia bem atentamente as letrinhas pequenas. Esse jornal eu tenho até hoje guardado, mesmo não gostando de terem pego uma foto minha no instagram sem mais nem menos. Mas isso, foi a reviravolta completa. Mesmo com diversos problemas com a editora, eu tive com meses de atraso, o livro físico em minhas mãos. A primeira edição do meu livro, MEU LIVRO. Eu tinha conseguido o que inúmeras pessoas tentam e não conseguem. Tinha dado a volta por cima e superado todos os problemas, mesmo sabendo todas as dificuldades de ser escritor em um país desse. Com praticamente 99% das editoras que publicam obras de fantasia, pegando obras de fora, e as traduzindo por medo de apostarem em autores nacionais, visando apenas lucro. Claro, qual empresa vive sem lucar, não é mesmo?

Praticamente nenhuma das editoras nem sequer leu a proposta desse projeto. Nenhuma nem sequer pensou na possibilidade, ou em alguma vertente para um lucro mínimo. Simplesmente dispensaram sem mais nem menos. Não só editoras, como também possíveis investidores. Depois fiz um teste, e montei um projeto para um estabelecimento que teria um lucro altíssimo, e mandei para um mesmo investidor. No dia seguinte, ele retornou o e-mail solicitando um ofício para enviar para a direção da empresa que ele trabalhava. Era algo óbvio demais. 

Um projeto que pode beneficiar aproximadamente 9000 jovens, a despertarem interesse pela literatura, pela leitura, algo que pode estimular a educação, e tentar reverter essa situação que é vista diariamente. 

Eu não me abalei, pelo contrário, me motivei mais ainda para mostrar que o projeto é algo promissor, não só para meu estado, mas quem sabe em escala nacional. Eu tenho total capacidade de seguir, tenho todo o conhecimento, e consigo prosseguir com isso. Sei exercer completamente o papel de uma editora, então não tenho o que temer, apenas almejar a segunda edição para distribuição nas escolas, e iniciar esse projeto.

 

 

 

 

 

 

Recompensas

Consegui atribuir ainda diversas recompensas, que são limitadas! Para que vocês também possam conhecer essa história surreal, e desejarem a continuação da saga de Ravnir!

"Que Ravinea esteja com vocês!"


A hora é agora! Contribua com
Ravnir - Literatura para crianças e jovens

Saiba mais sobre o criador desta campanha:

Instagram

Conheça quem está à frente desta campanha

Breno Ilan
  Breno Ilan
  

Você acredita que essa campanha tenha conteúdo proibido? Reporte esta campanha.